Enable JavaScript to visit this website.
Saúde e Proteção

Escolhendo a cadeirinha do carro

Seção: 
Saúde e Proteção
Body top: 

Cadeirinha no carro: qual é a escolha mais segura? Já faz 10 anos que o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou a resolução que regulamenta o transporte das crianças menores de 10 anos nos veículos. Foi então que os assentos infantis começaram a chamar a atenção e se tornaram parte do enxoval das famílias. Mas, ainda hoje, muitos pais demonstram dúvidas sobre os modelos mais adequados para cada idade. E outros até mesmo questionam a necessidade desses artigos no carro. Os números sobre acidentes de trânsito envolvendo crianças no Brasil reforçam o quanto o transporte dos pequenos deve ser tratado com seriedade. Entre as mortes de menores de 14 anos por acidente, os episódios relacionados ao trânsito são os mais frequentes, segundo dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus). Nesse contexto, o uso de assentos infantis constitui uma medida de segurança importante. Eles podem evitar, por exemplo, que a criança seja arremessada do carro no caso de uma colisão.

Content image: 
Text overlapping image: 

Para aumentar a proteção, é preciso observar aspectos essenciais na escolha do assento. O dispositivo deve ser adequado à idade, à altura e ao peso da criança, além de ter o selo de controle do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). Também é importante testar o acessório antes de efetuar a compra, para saber se a criança se sentirá confortável e se o artigo é adequado ao carro da família. Aproveite, ainda, para ler o manual de instruções e fazer revisões periódicas, checando se o dispositivo está bem preso e adequadamente instalado. Ele nunca deverá ser utilizado no banco da frente, por exemplo.

Body text below image: 

Por fim, tenha em mente que as regras de segurança para as crianças nos veículos da família devem ser seguidas à risca: seu filho jamais deve ser transportado no colo, nem mesmo em trajetos bem curtos, dentro do próprio bairro. Para garantir um percurso mais tranquilo e seguro, confira abaixo as indicações de transporte para cada faixa etária. E aproveite, sem preocupação, a alegria dos passeios em família!

Bottom - Subtitle Body: 

Até 1 ano de idade – Bebê Conforto
• É necessário usar o bebê-conforto em formato de concha, desde a saída da maternidade.
• Atende crianças até atingirem o 1 ano de idade ou peso máximo indicado pelo fabricante.
• O dispositivo deve ser colocado no banco de trás, de costas para o painel, no meio do banco;
• O Contran indica que a peça fique levemente inclinada, formando um ângulo de 45º, para que a cabeça, o pescoço e a coluna do bebê fiquem alinhados.

De 1 a 4 ou 5 anos (de 11 a 25 Kg) – Cadeirinha
• Para essa faixa etária e peso indicado pelo fabricante é usada a cadeirinha.
• Deve possuir sistema de retenção de cinco pontos (como nos cintos de segurança dos carros de corrida), o que distribui melhor a energia do impacto em caso de colisão;
• Deve ser instalado no meio do banco de trás, mas agora de frente para o painel.
• O cinto de segurança do carro prende a cadeirinha, que tem um cinto para a criança.
• O cinto precisa passar pelos ombros e quadril da criança, sem pressionar regiões mais frágeis, como barriga e pescoço.


De 6 a 10 anos - assento de elevação, ou booster
• Serve para que a criança, sentada, fique mais alta. Assim, o cinto de segurança do carro passará nas partes do corpo que são capazes de suportar o impacto de uma colisão ou freada brusca (quadril, centro do peito e meio do ombro).
•  Acomoda crianças de 22 kg a 36 kg ou peso indicado pelo fabricante, com altura inferior a 1,45 m
• Usa-se o próprio cinto de segurança de três pontos do carro, passando pelo peito e coxa da criança.
• Crianças maiores de 7,5 anos podem ser dispensadas no booster, mas devem ficar sempre no banco traseiro.
Apenas a partir dos 10 anos e com mais de 1,45 m de altura as crianças podem ser transportadas no banco dianteiro.
O cinto de segurança, para todos ocupantes do veículo, tanto no banco da frente, como no de atrás é obrigatório sempre!

Referência:

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Segurança na viagem com crianças. Departamento Científico de Segurança da Criança e do Adolescente. Acesso em: 30/09/2020 https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/prevencao-de-acidentes/seguranca-na-viagem-com-criancas

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. SBP orienta pediatras sobre a segurança de crianças e adolescentes em veículos automotores. 19/07/2019. Acesso em: 30/09/2020 https://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/sbp-orienta-pediatras-sobre-a-seguranca-de-criancas-e-adolescentes-em-veiculos-automotores

Matérias
Relacionadas

Compartilhar com a família a emoção do nascimento de uma criança é sempre um momento especial.  Mas parentes e amigos devem tomar alguns cuidados na hora de visitar o recém-nascido, porque a fragilidade de seu organismo pode deixar o bebê exposto a infecções.
Por isso, os visitantes devem estar atentos a alguns cuidados para preservar a saúde do pequeno. Confira aqui algumas regrinhas básicas para fazer desta visita tão esperada uma experiência inesquecível:

A atividade física é fundamental para o crescimento e desenvolvimento saudável das crianças. A prática regular de esportes e exercícios físicos contribui para o fortalecimento do sistema imunológico, porque ajuda a aumentar o número de linfócitos, um dos diversos tipos de células de defesa do organismo. Conhecidos por glóbulos brancos, eles destroem as células defeituosas, como as células tumorais ou infectadas por vírus.
 
Embora o estímulo à prática de atividades físicas seja importante, os pais não devem impor sua preferência esportiva aos filhos. O ideal é incentivar as crianças a experimentar diferentes modalidades para descobrirem o que mais gostam de fazer! Atividades agradáveis e seguras como caminhar, andar de bicicleta, nadar, jogos e brincadeiras coletivas, são boas opções que contribuem para melhorar o aspecto físico, emocional e social da criança.

Muito se fala sobre os benefícios da amamentação para a saúde do bebê e da própria mãe. Realmente, as mamadas estimulam o sistema imunológico da criança, diminuindo o risco de doenças importantes, como pneumonia, otites, alergias, desnutrição e problemas gastrointestinais. O ato de mamar também estimula as funções de mastigação, deglutição, respiração e articulação dos sons da fala¹. Mas os benefícios não param por aí. Há, também, um forte aspecto afetivo envolvido no aleitamento materno, que proporciona ao bebê uma experiência carregada de segurança emocional.

Quando o assunto é imunidade infantil, dormir bem é tão importante quanto alimentar-se de forma equilibrada e praticar atividades físicas compatíveis com a idade. É durante o descanso que o corpo libera o hormônio do crescimento e o cérebro assimila tudo aquilo que a criança vivenciou durante o dia, favorecendo o aprendizado e a memória.

Matérias
Relacionadas

Compartilhar com a família a emoção do nascimento de uma criança é sempre um momento especial.  Mas parentes e amigos devem tomar alguns cuidados na hora de visitar o recém-nascido, porque a fragilidade de seu organismo pode deixar o bebê exposto a infecções.
Por isso, os visitantes devem estar atentos a alguns cuidados para preservar a saúde do pequeno. Confira aqui algumas regrinhas básicas para fazer desta visita tão esperada uma experiência inesquecível:

A atividade física é fundamental para o crescimento e desenvolvimento saudável das crianças. A prática regular de esportes e exercícios físicos contribui para o fortalecimento do sistema imunológico, porque ajuda a aumentar o número de linfócitos, um dos diversos tipos de células de defesa do organismo. Conhecidos por glóbulos brancos, eles destroem as células defeituosas, como as células tumorais ou infectadas por vírus.
 
Embora o estímulo à prática de atividades físicas seja importante, os pais não devem impor sua preferência esportiva aos filhos. O ideal é incentivar as crianças a experimentar diferentes modalidades para descobrirem o que mais gostam de fazer! Atividades agradáveis e seguras como caminhar, andar de bicicleta, nadar, jogos e brincadeiras coletivas, são boas opções que contribuem para melhorar o aspecto físico, emocional e social da criança.

Muito se fala sobre os benefícios da amamentação para a saúde do bebê e da própria mãe. Realmente, as mamadas estimulam o sistema imunológico da criança, diminuindo o risco de doenças importantes, como pneumonia, otites, alergias, desnutrição e problemas gastrointestinais. O ato de mamar também estimula as funções de mastigação, deglutição, respiração e articulação dos sons da fala¹. Mas os benefícios não param por aí. Há, também, um forte aspecto afetivo envolvido no aleitamento materno, que proporciona ao bebê uma experiência carregada de segurança emocional.

Quando o assunto é imunidade infantil, dormir bem é tão importante quanto alimentar-se de forma equilibrada e praticar atividades físicas compatíveis com a idade. É durante o descanso que o corpo libera o hormônio do crescimento e o cérebro assimila tudo aquilo que a criança vivenciou durante o dia, favorecendo o aprendizado e a memória.

siga-nos