Enable JavaScript to visit this website.

Social Search

Custom Search 1

Aleitamento materno: a força dos anticorpos

Aleitamento materno: a força dos anticorpos

Quando nasce, o bebê ainda possui o sistema imunológico muito imaturo. O leite materno, além de ser uma excelente fonte de...

Aleitamento materno: a força dos anticorpos

Quando nasce, o bebê ainda possui o sistema imunológico muito imaturo. O leite materno, além de ser uma excelente fonte de nutrientes, ajuda a proteger os pequenos contra infecções, já que por meio da amamentação, eles recebem os anticorpos que a mãe produziu ao longo de sua vida1.

O colostro, primeiro leite produzido no pós-parto, oferece todos os nutrientes necessários que o bebê precisa, além de proteger contra infecções respiratórias, diarreias, alergias, otites e outras doenças na infância. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os bebês recebam exclusivamente o leite materno até os seis meses de idade2.

Durante esse período, nem mesmo água, sucos ou sopinhas devem ser ingeridos pela criança. E não existe essa história de leite fraco ou aguado. O leite materno contém água suficiente para manter o bebê hidratado e todos os nutrientes que contribuem para o crescimento saudável e desenvolvimento adequado da criança3.

A introdução precoce de complementos alimentares também deve ser evitada para que o bebê não rejeite o leite materno. A redução do aleitamento interfere na transferência dos anticorpos da mãe para a criança. Esses complementos podem ainda causar alterações no sistema imunológico, favorecendo o aparecimento de alergias.

A partir dos seis meses, a amamentação deve ser complementada com alimentos variados até os dois anos de idade. Enquanto a criança ainda mama, ela pode ingerir cereais, tubérculos, carnes, verduras, frutas e legumes de forma progressiva até chegar ao ritmo alimentar do restante da família.

No Brasil, muitos pais têm o costume de dar leite de vaca integral muito precocemente aos bebês, normalmente, logo após o desmame. Essa prática não é recomendada, já que essa substituição leva ao consumo excessivo de proteínas e gorduras, associado ao desenvolvimento de doenças crônicas no futuro, como obesidade e diabetes. 


Referências:

4. SOARES, Rita de Cássio e outros. Imunidade conferida pelo leite materno. Anais IV SIMPAC 4 2012 205
Revista Científica Univiçosa - Volume 3 - n. 1 - Viçosa-MG - jan. - dez. 2013 - p. 205-210
5. Organização Mundial da Saúde. Disponível no portal http://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/infant-and-young-child-f.... Acessado em julho de 2018.
6. Sociedade Brasileira de Pediatria – disponível http://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/nutricao/a-impor.... Acesso julho de 2018
7. CARDOSO, Ary.  A importância da nutrição para a saúde atual e futura do lactente, Revista Pediatria Moderna, fevereiro 15, volume 51, N 2.